RTMed

Eficiência Energética

Home  >>  Energia  >>  Eficiência Energética

lifesaverLIFE SAVER

Filtro capacitivo que possibilita a redução de ruídos e harmônicas na rede elétrica proporcionando economia direta na fatura mensal de energia. Devido à capacidade do LIFE SAVER de anular a impedância entre a rede elétrica e o aterramento para frequências diferentes de 60Hz, as variações de frequência são desviadas para o fio terra, mantendo a onda fundamental a máxima possível estabilizada na frequência de 60Hz, evitando assim, o aumento de consumo de energia elétrica.

Os Filtros LIFE SAVER, atuam de forma passiva e em paralelo na rede elétrica, melhorando significativamente a qualidade da energia elétrica consumida, atuando como filtro capacitivo, indutivo e resistivo e também como pára-raios interno de rede.
É composto por placas que ao se unirem de forma tecnicamente correta, são capazes de criar uma impedância zero entre a rede e o aterramento para anular todas as frequências diferentes de 60Hz.

Este filtro garante a entrada de energia elétrica de melhor qualidade para o consumidor, aumenta a vida útil da instalação elétrica, melhora o rendimento dos motores dos elevadores, resultando desta forma numa redução mínima de 10% no consumo de energia elétrica. Os filtros são montados em caixas conforme NBR 5410 em conformidade com a legislação em vigor.

Entre as variações de frequência mais conhecidas, estão:

Harmônicas:
pico0

Consequências: Operações errôneas de disjuntores, relês e fusíveis, sobreaquecimento e baixo rendimento de motores. Degradação dos sistemas eletroeletrônico.

Picos gerados por motores:

pico1

Consequências: Travamento, perda de dados, erros de processamento, oscilação de motores e baixa produção. Desperdício de energia com partida de motores.

Interferências externas:

pico2

Consequências: Travamento, perda de memória, queima de placas, erros de processamentos, queima de materiais e isolação. Grande incidêcia de sinistro em empresas.

Descargas atmosféricas:

pico3

Consequências: Queima total de equipamentos eletroeletrônicos.

Variação de tensão:

pico4

Consequências: Sobreaquecimento e desligamento de motores, lâmpadas e equipamentos, redução de vida útil de aparelhos eletroeletrônicos, além de parar as máquinas por queda de disjuntores.

Os Filtros equilibram o funcionamento de máquinas eletrônicas e digitais. É um eficaz para-raios interno de rede, desvia para o fio terra toda descarga atmosférica (raios) que entra pela rede elétrica e evita assim o dano em equipamentos, a proteção se dá em até 6000 ampéres de raio.

Os picos de tensão promovem a queima de lâmpadas que podem ser reduzidos com nosso filtro.

A instalação do LIFESAVER não conflita com as normas em vigor junto as concessionárias de energia elétrica, desde que a instalação seja feita após o relógio medidor, artigo 8 e 9 da portaria ANEEL nº 466 de 12/11/1997 e resolução nº 456 de 29/11/2000, atendendo as normas de instalação NBR 5410.


efic2

CRÉDITOS DE ICMS – ENERGIA ELÉTRICA

A Lei Complementar 87/1996 permitia que as empresas comerciais e industriais utilizassem o crédito integral do ICMS destacado nas faturas de energia elétrica, no entanto, sua vigência foi até 31 de dezembro de 2000 e a partir desta data, passou a vigorar a Lei Complementar 102/2000 e sucessivos atos complementares.
Desta forma, a utilização do crédito de ICMS restringe-se a 3 hipóteses:
  1. quando for objeto de operação de saída de energia elétrica;
  2. quando consumida no processo de industrialização;
  3. quando seu consumo resultar em operação de saída ou prestação para o exterior, na proporção destas sobre as saídas ou prestações totais.
Para as demais hipóteses a utilização do crédito vem sendo constantemente postergada e atualmente a previsão é a de que seja possível a partir de 1º de janeiro de 2020, conforme determina a Lei Complementar 138/2010.
Assim, as empresas industriais que queiram se creditar do ICMS destacado nas notas fiscais de energia elétrica, terão que confeccionar um Laudo Técnico emitido por um perito para quantificar a energia elétrica consumida nos setores de industrialização. É possível buscar a retroatividade do crédito no período dos últimos 05 (cinco) anos e os valores apurados poderão ser compensados com débitos vincendos do ICMS, atentando-se às normas do regulamento estadual do Estado onde estiver situado o estabelecimento.Outro fato importante que refere-se ao crédito de ICMS sobre as faturas de energia elétrica é a edição da Resolução nº 456, de 29 de novembro de 2000, da Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica que tratou, dentre outras coisas, da demanda contratada.As concessionárias de energia elétrica têm dois procedimentos distintos para procederem à cobrança da energia consumida. O primeiro quanto ao consumo (R$/KWh), onde é faturado o valor total da energia consumida dentro do ciclo de leitura discriminado na fatura de energia, e o segundo (R$/MW) onde é faturado o maior valor entre a Demanda Contratada e a Demanda Registrada e é neste caso que existe um ponto a destacar.
O fato é que os consumidores de energia elétrica, através da Demanda Contratada, estão pagando o imposto sem o seu efetivo consumo, vez que o ICMS somente deve incidir sobre o valor da energia elétrica efetivamente consumida (sobre os KWs registrados) e não sobre o valor da Demanda Contratada, posto que, neste caso, não ocorreu a hipótese de incidência prevista em lei para a exigência do tributo.
É importante salientar que em qualquer um dos casos relatados, não é passível de crédito o consumo de energia relacionado ao prédio em que estão localizadas as áreas de administração e vendas e ainda que o direito ao crédito é dado somente às empresas que não optaram pelo recolhimento simplificado do ICMS.

Confira também: